Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Graduação > Física
Início do conteúdo da página

Licenciatura em Física

Publicado: Sexta, 11 de Março de 2016, 17h41 | Última atualização em Terça, 22 de Março de 2016, 15h31 | Acessos: 2525
Apresentação

O curso de Licenciatura em Física a distância oferecido pela Universidade Federal do Tocantins, pertencente ao sistema Universidade Aberta do Brasil, que tem como principal objetivo formar professores para a Educação Básica, visando suprir a crescente necessidade desses profissionais especializados no estado do Tocantins, e porque não dizer no país.

Assim como os demais cursos de licenciatura oferecidos nessa modalidade pela UFT, o curso de licenciatura em física foi espelhado nos grandes projetos em andamento, como o oferecido pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), instituição essa que cedeu à Universidade Federal do Tocantins a matriz do material didático dos cursos. À UFT coube a reprodução e a adequação do material à realidade local pelos docentes da UFT. O curso possui material didático complementar na forma de fascículos e atividades abordando características peculiares do estado do Tocantins no contexto do ensino de ciências.

O curso Licenciatura em Física a Distância da UFT tem como enfoque a formação interdisciplinar do licenciado, superando as fragmentações que a excessiva disciplinaridade trouxe ao currículo de Física e que tanto comprometem a formação docente para atuar na Educação Básica.

Seja bem-vindo ao nosso curso.


Perfil do Formando

Baseando-se nas propostas de diretrizes curriculares para a licenciatura em Física, o profissional deste curso de gradu­ação deverá apresentar um forte conhecimento dos conteúdos e métodos da Física, além de um perfil que o capacite a ter: visão de seu papel social de educador e capacidade de se inserir em diversas realidades com sensibilidade para interpretar as ações dos educandos; visão da contribuição que a aprendizagem da Física pode oferecer à formação dos indivíduos para o exercício de sua cidadania; visão de que o conhecimento físico pode e deve ser acessível a todos, e cons­ciência de seu papel na superação dos preconceitos, traduzidos pela angústia, inércia ou rejeição, que muitas vezes ainda estão presentes no ensino-aprendizagem da com­ponente curricular.

O licenciado em Física, como educador, dedica-se à discussão, análise e disse­minação do saber científico, seja através da atuação no ensino formal de nível médio, seja através de novas formas de ensino (como vídeos, softwares educativos, Educação a Distância etc.), e dedica-se, ainda, à extensão e à pesquisa em Ensino de Física.


Polos e Vagas

De acordo com o Edital nº106, de 2 de julho de 2010, a Universidade Federal do Tocantins, por meio de sua Pró-Reitoria de Graduação, abriu 75 vagas para o curso de Licenciatura em Física na modalidade a distância.

Três polos ofertam este curso, estando localizados nos municípios de Ananás, Cristalândia e Palmas. São 25 as vagas para cada polo, havendo reserva de 12 das vagas de cada polo para professores da educação básica atuantes na rede pública.

Trata-se de um curso inteiramente público e gratuito, como qualquer outro curso de graduação oferecido pela Universidade Federal do Tocantins. As seleções são realizadas pela Copese, órgão que realiza os concursos e vestibulares na UFT. Para saber se há algum processo seletivo em andamento, acesse o site da Copese, http://www.copese.uft.edu.br/

Abaixo, você encontra os endereços e os telefones dos polos, onde também podem ser obtidas informações:

Ananás
Escola Municipal João Dias Borges, Praça da Bandeira s/n, Centro. 
CEP 77890-000
Fones: (63) 3442-1529 | (63) 9219-6910
Coordenadora Joab Gomes Fonseca

Cristalândia
Avenida Dom Jaime Antônio Schuck, 2600, Centro.
CEP 77490-000
Fones: (63) 3354-0389 | (63) 3354-0389
Coordenadora Benzanila Rodrigues Cavalcante

Palmas
Escola de Governo, 103 Sul, SO 03, Lt 39, Plano diretor Sul
CEP 77015-016
Fone: (63) 3218-6335
Coordenadora Marílha dos Santos Maciel


Organização Curricular

A proposta curricular foi planejada prevendo uma duração mínima de 8 (oito) e máxima de 12 (doze) períodos letivos para sua integralização.

Para garantir a multidisciplinaridade e a integração dos conhecimentos, os quatro primeiros semestres do Curso contemplarão componentes curriculares das áre¬as de Matemática, Química, Física e Biologia e pedagógicas. A partir do quinto semes¬tre o curso abordará os conteúdos específicos da área do conhecimento, no entanto, a integração dos conhecimentos será mantida através principalmente de dois tipos de eventos: as atividades de formação que se desenrolarão ao longo do curso e a apresen¬tação, por parte dos os alunos, o resultado de seus trabalhos práticos e de investigação, por meio do seu projeto de intervenção, os quais deverão ter como princípio norteador a multidisciplinaridade.

As atividades de “Estágio”, entendido aqui como componente curricular, se¬rão encaminhadas como práticas de sala de aula, iniciando-se com o planejamento da disciplina a ser ministrada e, no último semestre, você terá de elaborar um relatório final que contemple as observações realizadas nos quatro estágios, incluindo as con¬clusões tiradas com a execução dos projetos de intervenção realizados nos Estágios III e IV, válido como trabalho de conclusão de curso (TCC).

Além das atividades curriculares regulares, estão previstas 200 horas de ati-vidades chamadas “de formação”, atividades de caráter científico-cultural que visam fornecer ao aluno uma maior inserção no meio acadêmico, onde compartilhará seus conhecimentos com os colegas e professores. Essas atividades são regulamentadas pela resolução número 009/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CON¬SEPE.

A carga horária será associada a um sistema a ser definido de créditos de edu-cação a distância e corresponde ao número estimado de horas de estudo, por sema¬na, necessário ao acompanhamento e cumprimento da componente curricular. Para a estimativa deste número por semestre levou-se em conta o grau de aprofundamento e a extensão dos conteúdos propostos, bem como o semestre em que se prevê que a disciplina seja cursada: considera-se que, no primeiro ano, os alunos tenham mais dificuldade em cursar as disciplinas que no segundo ano e assim por diante.


Estruturação dos Cursos

O período letivo é semestral e será desenvolvido ao longo de 18 semanas, com planejamento de distribuição de dois módulos por semestre trabalhados em 9 sema¬nas cada, com no máximo três disciplinas por módulo. O aluno terá de estar presente nos finais de semana no polo para o desenvolvimento das atividades presenciais, com frequência mínima de 75% e, durante a semana, ele desenvolverá as atividades a dis¬tância propostas pelo professor da disciplina.

As atividades presenciais serão desenvolvidas pelo tutor presencial, orien¬tado pelo professor da disciplina, por meio do material impresso, videoconferência, internet, ou mesmo em uma visita do docente ao polo. As atividades a distância serão acompanhadas preferencialmente pelo tutor a distância, podendo também ser orienta¬do pelo tutor presencial, supervisionado pelo professor da disciplina. Essas atividades desenvolvidas a distância serão sequência das atividades desenvolvidas presencial¬mente e devem ocorrer por meio das mesmas mídias usadas nas atividades presen¬ciais, com ênfase nas atividades propostas pelo ambiente virtual de aprendizagem.

Cada disciplina terá de realizar no mínimo duas avaliações presenciais, apli-cadas no polo durante a realização do módulo, com as datas pré-definidas entre a coordenação e o professor da disciplina. Essas avaliações serão somativas e deverão representar 70% da nota da disciplina. Os outros 30% que comporão a nota final da disciplina serão obtidos por meio de atividades realizadas a distância definidas pelo professor da disciplina. Para os alunos que apresentarem desempenho insatisfatório (média parcial igual ou superior a 4,0 e inferior a 7,0) haverá duas semanas, ao final do segundo mó¬dulo, para a realização de estudos de reforço e da avaliação final (exame). Neste pe¬ríodo de reforço, poderá haver conteúdo específico preparado pelo professor de cada disciplina e disponibilizado no ambiente virtual de aprendizagem, com o acompanha¬mento do tutor presencial e também do tutor a distância. A primeira semana após o término do segundo módulo será destinada à recuperação das disciplinas do primeiro módulo e a segunda semana será destinada às disciplinas do segundo módulo.

Caso o aluno não consiga obter nota satisfatória para a aprovação na discipli-na, mesmo depois do período de reforço, e fique reprovado, ele terá de ficar em regime de dependência, o qual será cursado depois do final do semestre (período de férias). Serão ofertadas todas as disciplinas daquele semestre em regime de dependência e o aluno terá o direito de cursar todas aquelas em que não obteve aprovação. A meto¬dologia de desenvolvimento das disciplinas em regime de dependência será feito de forma semelhante ao desenvolvimento durante o semestre, o professor da disciplina será responsável pelas atividades presenciais e a distância que serão acompanhadas pelo tutor presencial e a distância. As atividades realizadas a distância terão valor de 30% da nota da disciplina da dependência e uma avaliação presencial terá valor de 70% da nota final.

O aluno reprovado na disciplina de dependência terá de aguardar uma nova oferta da disciplina no polo onde está matriculado ou cursá-la em outro polo em que haja oferta daquela disciplina no mesmo curso ou em outro curso em que a disciplina seja equivalente na carga horária e na sua ementa.


Postura do Aluno

O aluno de um curso a distância é figura central para o sucesso do próprio aprendizado, muito mais que em um curso presencial. Incentivamos a sua preparação para o estudo autodirigido, para assumir o controle da sua própria formação. Assim, por suas características, a educação a distância supõe um tipo de ensino em que o foco está no aluno e não na turma. Este aluno deve ser considerado como um sujeito do seu aprendizado, desenvolvendo autonomia e independência em relação ao professor ou ao tutor, que o orienta no sentido do “aprender a aprender e aprender a fazer”.

Todos estarão sempre ao lado do aluno, sob a forma de apoio, incentivo, críticas construtivas, redirecionamento de esforços de estudos, eliminação de dúvidas, consultoria profissional, enfim, todos com a mesma meta: a melhor formação do futuro professor. Embora, na maior parte do tempo, o aluno estude sozinho, ele não deve esquecer de que a aprendizagem é um processo coletivo. O aluno conta com apoio dos colegas, da tutoria presencial, da tutoria a distância, dos orientadores acadêmicos e dos professores, que interagem na plataforma. Em um processo a distância, a participação é fundamental para que todos se conheçam melhor, favorecendo a aprendizagem.

Aprender é um processo diferente para cada um: cada pessoa tem um ritmo próprio, adota recursos e técnicas que melhor favoreçam sua aprendizagem, estabelece, enfim, um caminho particular para seguir. Traçar um plano de estudo para si mesmo poderá ser um recurso facilitador e, ao mesmo tempo, orientador para o desenvolvimento de suas atividades ao longo do curso.

Estudar é um trabalho difícil, porque exige de quem o faz uma postura critica sistemática, exige uma disciplina intelectual que não se ganha a não ser praticando-a. Para Paulo Freire, “estudar é uma forma de reinventar, de recriar, de reescrever – tarefa de sujeito e não de objeto”. Aconselhamos aos alunos para que não deixem de assumir o seu papel de sujeitos nos estudos, na sociedade, na vida. Estamos sempre fechados com eles nesta missão.

A carga horária de estudo que o aluno deverá exercer em cada disciplina é variável, mas tende a ser distribuída dentro de cada disciplina com 40% de autoestudo, 30% de aula no polo e 30% de mediação digital. A carga horária destinada ao autoestudo poderá ser realizada presencialmente ou a distância. Você a organizará de acordo com as suas necessidades individuais. A porcentagem da carga horária destinada às aulas no polo será realizada nos finais de semana e será verificada pelo tutor presencial com o registro da sua frequência. O local mais comum dos encontros é o polo de apoio presencial da UAB escolhido pelo aluno desde o vestibular, podendo, no entanto, haver atividades práticas realizadas em outros locais. A mediação digital será feita por meio do ambiente virtual de aprendizagem, com atividades a distância, que serão acompanhadas pelo tutor presencial e pelo tutor a distância.

No decorrer destes cursos de licenciatura, todos têm muitos objetivos a alcançar. Não somente objetivos com relação à aprendizagem do aluno, mas também à qualidade do trabalho realizado pelos tutores presenciais e a distância, orientadores acadêmicos e professores e, principalmente, objetivos em relação à transparência e à cumplicidade entre todos nós, atores do processo ensino-aprendizagem mediado por tecnologias de informação e de comunicação.

Todos trabalharão juntos durante, pelo menos, quatro anos. Para tanto, é preciso que algumas coisas estejam muito claras e desde já compreendidas por todos no que diz respeito ao bom andamento de nossas atividades:

  • É preciso que haja comprometimento e responsabilidade de todos quanto ao cumprimento dos prazos.
  • Os tutores, quase todos os dias, acessam a plataforma virtual e interagem com os alunos. Eles não estão conectados 24h por dia, mas, sempre que estão online, devem fazer o esforço para responder às dúvidas de todos e contribuir com novos conhecimentos.
  • Tudo poderá ser considerado como critério avaliativo nas disciplinas: as postagens, a interação com os demais colegas e com os tutores, as tarefas, o uso da plataforma de aprendizagem, o alcance dos objetivos propostos nos trabalhos solicitados e a pontualidade na execução e na entrega das atividades.
  • Tutores e orientadores acadêmicos caminham juntos dos alunos no aprendizado, em momentos presenciais, aplicando e corrigindo provas, auxiliando nas práticas laboratoriais, enfim, são como professores auxiliares.
  • A cada tarefa enviada, a cada participação em fórum, o tutor verifica se a contribuição dos alunos é, de fato, original, ou se se trata de cópia. A cópia poderá ser punida de forma equivalente àquela que recebe o aluno que “cola” em uma prova presencial.
  • No ambiente virtual, são disponibilizados comunicados e documentos da disciplina, onde o aluno encontra informações importantes em relação ao curso. Trata-se, portanto, de leitura obrigatória para que todos sigam informados sobre os rumos da disciplina.
  • Fóruns tira-dúvidas e de conversa livre existem em cada disciplina do ambiente virtual de aprendizagem, e servem para você se comunicar, principalmente, com os tutores (o tira-dúvidas) e com os seus colegas (o de conversa livre).

Acreditamos, sinceramente, que com o permanente diálogo entre os atores deste processo ensino-aprendizagem, tudo é mais fácil, mais gratificante para todos, e por isso, estamos aqui, expondo o entendimento da equipe da UFT em relação às nossas ações enquanto profissionais da educação atuando em um curso de formação de profissionais da educação.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página